quinta-feira, 21 de junho de 2012

Ninguém me Conhece: 65) A estrela de Rita Alterio


O Brasil, na condição de país jovem, ainda amargará muitas décadas, talvez séculos, antes de vir a ser uma nação plenamente justa. Mesmo entre os vizinhos sul-americanos foi o último a abolir a escravidão. E só há poucos anos a situação da mulher começou a dar sinais de melhora. Claro que no mercado de trabalho já há muitas delas em funções de comando, inclusive ter na presidência da república uma mulher é sinal de grande avanço, mas, assim como ainda persistem os preconceitos racial e social, a mulher, principalmente nas camadas mais baixas da sociedade, ainda é vítima da brutalidade masculina, e, enquanto a desinformação e a miséria continuarem, sempre haverá em algum canto do país uma boca sem voz (que é a pior das fomes).


1) Minha Sorte (Rafael Alterio - Rita Alterio)

No campo da música, que é do que trata esta coluna, também são recentes as conquistas femininas em nosso país. Se pensarmos que há mais de cem anos Chiquinha Gonzaga já abalava as estruturas da sociedade com sua música e sua atitude de mulher emancipada, o natural era esperar que houvesse maior número de compositoras mulheres nos anos seguintes. Pra se ter uma ideia, até a década de 70 do século passado havia uma ou outra que se destacasse na área. Já cantoras sempre abundaram, mas quase sempre a serviço da inspiração masculina.

Esse prefácio foi pra ilustrar o quão rara é a figura de Rita Alterio no cenário da música brasileira. Rita, uma bela e elegante senhora que se esconde numa fazenda do interior paulista, mais precisamente na pequena cidade de Alambari, avessa a badalações noturnas e a redes sociais, serena e comprometida com suas obrigações de mãe de família, é, por mais incrível que isso possa parecer, uma letrista de mão cheia! E mais, da mesma forma que Chico Buarque é cultuado por dar voz às mulheres em suas canções, Rita compõe com desenvoltura no eu-lírico masculino.

Mas nem sempre foi assim. Muito provavelmente Rita, quando se casou, nem sequer imaginava vir a se tornar quem é hoje. Só que o destino, com seu peculiar senso de humor, tinha planos pra ela. Calhou que seu marido era um fazendeiro atípico: nos intervalos do tempo que gastava tomando conta dos negócios do pai, ele compunha, cantava e tocava piano. Mas não tinha o menor talento pra compor letras... Daí que Rita se viu, meio que de brincadeira, de improviso, eu diria mesmo que no susto, letrista das canções do marido. Ah, o nome dele: Rafael Alterio.

Apesar do susto, o processo foi meio que natural, e com os anos sua casa se transformou num lar de músicos, pois dois de seus filhos, criados nesse ambiente, acabaram se tornando instrumentistas. Gabriel, o mais novo, é baterista, e Pedro, violonista e compositor (este é também membro do elogiado grupo 5 a Seco). E, como sempre foram dados a abrir suas portas pra receber outros artistas e promover rodas de violão (cheguei a presenciar algumas), Rita expandiu suas parcerias pra fora dos portões de sua fazenda.

2) Cedo ou Tarde (Keco Brandão - Rita Alterio)

Mas quem fala tem que provar, portanto, escolhi uma letra sua pra publicar aqui, Minha Sorte, parceria com Rafael e uma das canções mais belas que já tive o privilégio de ouvir: "Eu fui do mar um bravo pescador/ Já fui do porto, do farol, do forte/ Carrego sangue quente, abrasador/ E a minha sorte vem quando o mar sacode./ Fui milongueiro em ponto da ladeira/ Laranja podre apodrecendo a safra/ Fui má notícia, fui pé de rasteira/ E a minha sorte a seca é quem abafa./ Fui pirilampo correndo na feira/ Fui vendedor, carregador barato/ Minha barriga até que 'tava cheia/ E a minha sorte escorregou no prato./ Fui da pelada, jogador de areia/ Canela fina atropelando a bola/ Dei meia-volta, dei volta e meia/ E a minha sorte eu chutei pra fora./ Eh, ciranda/ Ciranda girou/ Diz se é minha estrela, Rosinha/ Que no céu brilhou.

"Eu fui guri tocando um berimbau/ Eu fui da ginga, guia de turista/ Nó na madeira, que nem mel de pau/ E a minha sorte eu já perdi de vista./ Fui passageiro em beira de autoestrada/ Cambaleando e tropeçando o passo/ Peguei carona com a pessoa errada/ E a minha sorte passou, deixou um abraço./ Eu fui criança sem doce na boca/ Choramingando e mastigando a fala/ Sem mão de mãe, miúda e muito pouca/ A minha sorte virou papel de bala./ Hoje romeiro entre orações e cruz/ Um pregador tecendo terço e velas/ Paguei promessa à Virgem de Andaluz/ E a minha sorte ofereci a ela./ Eh, ciranda..."

Como vocês podem perceber, não estou aqui gastando linhas em vão. Mas, acima de tudo, Rita é também uma pessoa especial. Outras em seu lugar cairiam facilmente, por vaidade, no erro da soberba, da arrogância. Já escrevi acerca de muita gente neste espaço, mas afirmo que poucas possuem a integridade de Rita. E sua gentileza. Numa época em que somos obrigados a conviver com pessoas mesquinhas ou iludidas (principalmente no ramo da música), Rita nos faz crer que um mundo melhor é possível e que o presente da sensibilidade que a arte nos dá pode ser empregado em algo mais nobre que massagear o ego.

3) Mais Nada (Rafael Alterio - Rita Alterio)
Thais Bonizzi

Digo isso porque sou réu confesso, cheio de defeitos, implicâncias e covardias, ignorado por uns, difamado por outros, mas sempre encontrei nela, ao longo desses muitos anos em que a conheço, um ombro amigo, ainda que distante. E, vejam vocês, enquanto outros procuram os holofotes a todo custo, não encontrei uma só foto de Rita no São Google! Tive que procurar uma em nossos arquivos (tirada por Kana) pra ilustrar este texto. Mas, apesar disso (ou por isso mesmo), sua estrela é tão brilhante que, perto dela, até me sinto uma pessoa melhor. O que podemos esperar mais de alguém, artista ou não?

***

PS: Dica de Daisy Cordeiro. Oportunidade rara de ouvir/ver Rita cantando:



***

23 comentários:

  1. Eita, RITA! Super figuraça!!!
    Bom ve-la flanando por esses campos de Léo Nogueira
    Beijo e Luz
    SUCESSO SEMPRE
    TAto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita, Tato! Um figuraça falando de outra! Bom te ler por aqui.

      Beijos do
      Léo.

      Excluir
  2. Rita é um dos seres humanos mais incríveis que eu conheço. Uma amiga de longa data, que foi além de amiga, uma irmã, uma mãe em muitas vezes. Na verdade, a familia toda é muito especial. A Gargolândia, como todos conhecem é cheia de luz. Uma vez eu vi...uma avalanche de estrelas apontando pra fazenda. Um fenômeno sobre natural que pude passar ao lado do meu amigo Rafael Alterio (apesar de ele não ter visto), mas naquele momento, tive a certeza que aquele lugar é um polo de energia do bem cultivada e bem cuidada pelas pessoas que lá vivem, onde o grande canal se chama Rita Alterio!
    Daisy Cordeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daisoca, lendo seu bonito depoimento, lembrei que até compusemos pra essa família, lembra? Vou aproveitar e postar a letra aqui. Por falar nisso, quando vou ouvi-la na sua voz?

      ANGELINA
      Daisy Cordeiro - Léo Nogueira

      Quando você pinta e borda
      O céu vai dando corda
      E te faz tão menina!
      Tanta santa tinta
      Quanta linha, quanta lã!

      Sussurando com as plantas
      Que é que você canta?
      Conta, me ensina
      Seus agrados, credos,
      Segredos

      Diz pra mim
      Como é que cabe tanta gente
      Nesse coração,
      Como se fosse um continente
      É mais que embarcação
      Mais que canção
      Maior que a arca de Noé
      Abarca o mundo
      Rindo
      Quando quer

      Me responde, criatura,
      Além dessa moldura,
      Quem é Angelina?
      Feiticeira? Fada?
      Namorada de Tupã?

      Quando tece a sua teia
      Enreda a lua cheia
      A noite se ilumina
      Vive o hoje, rege
      Agrega

      Diz pra mim
      Como é que cabe tanta gente
      Nesse coração,
      Como se fosse um continente
      É mais que embarcação
      Mais que canção
      Maior que a arca de Noé
      Abarca o mundo
      Rindo
      Quando quer

      Diz pra mim
      Olhando bem nos olhos meus
      Que os anjos têm poder
      De prometer jamais dizer
      Adeus

      Beijão do
      Léo.

      Excluir
    2. Em breve....trabalhos estão sendo feitos pra isso. Lembrando que essa musica e letra foram feitas para a "Matriarca" do lado Fioravante..Dona Angelina..linda de viver!!!!

      Excluir
    3. Tô louco pra ouvir. Afinal, só ouvi a melodia sem a letra. Depois que a compus, never more...

      Beijos,
      Léo.

      Excluir
  3. Ah.. me esqueci de dizer que elém de tudo ela tem uma voz linda de viver! Confiram no link abaixo. Léo, acho que vc não conhecia isso.
    http://www.youtube.com/watch?v=MitsIi2tsRc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uia! Vou postar então no fim do texto, como bônus. Afinal, Rita Alterio dando as caras no youtube é raridade.

      Valeu!
      Beijos,
      Léo.

      Excluir
  4. Que legal Léo, minha sorte é a musica que mais gosto desse CD que tenho no meu carro e escuto sempre. Gostamos muito do trabalho musical do Rafael Altério, além do mais, ele tem uma voz bem diferente. Conhecemos o Rafael no festival da Globo , quando ensaiamos no mesmo período para o mesmo no estúdio da globo. Não conhecia a Rita, gostei muito da sua voz, fazem um belo trabalho juntos. A todos o meu abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratíssimo, Marta! Bom te saber por perto.

      Abração do
      Léo.

      Excluir
  5. Daisy e Léo, eu adorei esse vídeo do Rafael e Rita cantando. Que música linda é essa? Quem são os compositores, qual o nome da música, a Simone Guimarães gravou? Achei tão a cara dela... Será que é uma canção da Rita e Rafael ou da Cristina Saraiva e Simone Guimarães? Adoro o jeito da Simone Guimarães cantar. As melodias do Rafael são sempre lindas, fico de olho quando no cd tem algo dele na voz de outros artistas. Não conheço a Rita, mas me pergunto, será que é mania de Ritas ter essa coisa acolhedora no jeito de ser? Minha mãe se chama Rita... :-) Vou ficar de olho nas letras da Rita, por conta do seu depoimento, gostei muito desse vídeo Daisy! Valeu demais ter postado. E sim, Daisy, ela tem uma voz tão gostosa de ouvir, me pareceu tão verdadeira no cantar cada palavra. bjoss... Veleiro. PS - quem é a homenageada nessa canção??? Será que é a Cristina Saraiva? Sergio-Veleiro

    ResponderExcluir
  6. Acabei de clicar no youtube e investigar no google... E não é que eu acertei que a homenageada era a Cristina Saraiva? Letra da Rita (uauuuuuuuuuuuuuuuuuu) e melodia do Rafael. Que coisa boa pra começar um sábado, tô agora extraindo a mp3 do youtube pra ouvir no carro. Coisa mais linda desse mundo, essa canção. Postei no facebook o vídeo, eu quero mostrar pra cada amigo essa canção, fiquei muito emocionado ouvindo. Caramba Léo, você me tirou a anestesia, fazia tempo que não ouvia música tão bonita assim. Perdoe a euforia, tô tomando um café bem forte como de costume nessa manhã de sábado aqui em Fortaleza (choveu muito ontem e de madrugada), surtei de alegria ouvindo essa canção. Fiquei com os olhos cheios d'água, pronto falei. :-) Sergio-Veleiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veleiro, fico feliz por ter te proporcionado essa emoção, mas a responsável foi a Daisy, pois foi ela que me mostrou, e por causa disso, até por ser uma rara oportunidade de ver Rita cantando, resolvi postar o vídeo no final do texto.

      Abração,
      Léo.

      Excluir
  7. Oi.....
    gostei muito de "Minha Sorte", e das outras canções de Alterio
    o último vidéo... que legal !!!!
    gracias...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bien que te gustó, Javier!

      Saludos,
      Léo.

      Excluir
  8. Léo,

    Soube por telefone que eu estava no respeitado “X do Poema” de junho. Fiquei antecipadamente grata e curiosa, é claro. Depois de 7 dias no Hospital acompanhando o Gabriel, por conta de uma meningite viral, hoje voltamos pra casa. E que presente vc. me deu!

    Entre surpresa e comovida, agradeço pela forma como enxerga esta amiga de tanto tempo, e principalmente, por me deixar fazer parte do seu mundo poético.

    Valeu, Kana! Essa foto dá uma saudade...
    Daisynha! Amiga–irmã desde a primeira parceria com o Keco.
    Tato Fischer! Vc. faz parte dos bons momentos.

    Léo, obrigada pelo texto primoroso. Adorei estar aqui!
    Beijo grande
    Rita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita, queridona, fico feliz em saber que gostou! Há tempos vinha querendo escrever sobre você, finalmente consegui.

      No mais, espero que o Gabriel esteja bem. Ele é de uma doçura única!

      Beijão do
      Léo.

      Excluir
  9. Olhem; fiquei emocionada ao ouvir "um dedo de prosa"...me fez lembrar a fazenda, meus longos e longos dias em que passei na fazenda. Eita tempo bom. Rita e Rafael foram pra mim, um porto seguro, momentos de reciclar a minha vida, momentos em que me deram ombro, carinho, abraços e afagos. Escutaram o meu choro, por vários e vários dias, mas tb escutaram e compartilharam comigo o meu riso, pois depois da tempestade vem a bonanza, nãoé não? Obrigada GARGA ...obrigada RITA MAIS QUE QUERIDA. Desta prima daqui da cidade grande, aliás muito grande. Amo Vcs de paixão. Bell

    ResponderExcluir
  10. Super obrigada, meu amigo!!! Realmente me sinto muito feliz em estar novamente no "X do Poema", de forma tão carinhosa. Agradeço a oportunidade e a consideração, com esta letrista, que anda carente de inspiração. Beijo grande

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita, cê tá só no intervalo de uma partida cujo placar está favorável. Quando começar o 2º tempo, é goleada na certa!

      Beijos,
      Léo.

      Excluir
  11. Apaixonada por Minha Sorte! Que lindeza de canção, Léo! E que grata surpresa saber de onde ela vem - ainda vou lá. conhecer pessoalmente, Rita e dar outro abraço no Urso Amado Rafael. Aqui, deixo meu beijo - da Necka, de Arqueira, Rafa & Rita. Beijos a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Necka! Só vi hoje sua mensagem. Valeu pela visita.

      Beijos,
      Léo.

      Excluir