quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Notícias de Sampa: 20) Né? – um clipe de Kana

Vira e mexe, Kana desanima. Pensa: "Se o Brasil ainda não aprendeu a abrir espaço democraticamente nem pros tantos talentos filhos de seu solo, que dirá pra mim, que sou estrangeira e meio que penetra nessa 'festa'?" Já aconteceu mais de uma vez. Mas sempre ela encontra carinho e incentivo vindos dos mais variados lados. Em certa ocasião, ela ficou muito tempo sem sair, sem se apresentar, e um dia, quando Tavito me encontrou só no Caiubi, perguntou de cara: "Cadê a Kaninha?" Respondi-lhe que ela andava desanimada, pensando em jogar tudo pra cima e desistir da carreira. Tavito arregalou os olhos, segurou-me pelos ombros e sentenciou: "Diz pra ela que se ela desistir eu também desisto!" Dei o recado. Kana não desistiu. Nem Tavito.

Pra ser sincero, acho mesmo que nenhum dos dois iria pôr em prática a ameaça. Quem contraiu o vírus do amor pela canção dificilmente se cura. Quem consegue é porque mantinha com a música uma relação meio parecida com a de um sujeito com uma gripinha qualquer. Já quanto a Kana e Tavito, o que, sim, puseram em prática foi uma gravação de uma canção juntos, Metáfora (do próprio Tavito comigo), gravada no terceiro disco de Kana, Imigrante. Em tempo: esse disco foi produzido por Vasco Debritto e lançado no Japão pela então sua Koala Records em 2008, não coincidentemente ano em que se comemorou o centenário da imigração japonesa ao Brasil. Ouçamos a canção?


Em outra ocasião, a sombra da frustração inventou de pairar novamente sobre sua cabeça. Taurinos têm dessas; apesar de teimosos, vez em quando vacilam. Mas quem nunca vacilou que atire a primeira flor (né, Roberto?). Daí, recebeu um e-mail de Zeca Baleiro avisando que havia letrado uma melodia dela e que pretendia gravá-la. Como se deu? Eu havia intermediado quase um ano antes o envio da tal melodia a Zeca. Como o tempo passasse sem maiores informações do lado das balas, achamos que tinha sido mais um tiro n'água. Assim, quando recebemos o supracitado e-mail, a surpresa só não foi maior que a alegria. Que se multiplicou, pois ele não só a gravou em seu CD O Disco do Ano, como também no CD/DVD Calma Aí, Coração, com direito a participação de Kana nos extras. Vale uma espiada (em primeira mão):



E eis que chegamos ao ano da (des)graça de 2016, que, apesar dos desmandos e da crise, entre trancos e barrancos pegou Kana em plena atividade, firme e forte (que nem geleia), com vários projetos na manga e agora estreando a parceria com a Ba Rocco Produções, o que nos faz vislumbrar um ano novo melhor que este que ora caduca (o que, convenhamos, não é algo difícil de prever). Mas, apesar dos pesares (y de los pesados), Kana produziu bastante este ano. Retomou o velho caso de amor com o piano, fez várias apresentações que foram da música latina (cantando em espanhol e tudo o mais) ao choro, passando por uma ou outra jam session e com direito até a uma entrevista no concorrido Na Minha Casa, de Adolar Marin & trupe. Aliás, já que estamos num desenrolar flashbackístico, vale a pena ver de novo. E, pra quem não viu ainda, eis uma boa oportunidade:



Mas escrevi tudo isso pra dizer que há alguns meses Kana deu um rolezinho por sua Tóquio natal e aproveitou pra fazer uns shows por lá (como de costume) e ainda preencher uma lacuna em sua carreira: a gravação de três clipes com uma turma da pesada, profissionais do mais alto gabarito. Foram eles: Koichi Hiroki (seu guru na Terra do Sol Nascente) no violão, Nobumasa Tanaka no piano, Atsuko Sakai na direção, Hirotaka Matsune na câmera e Takuya Kawakami na edição. O vídeo mostra também partes do show que Kana fez no Pit Inn, uma das casas de espetáculo mais conceituadas de Tóquio. Por ora, e pra não cansar a paciência do público, subimos apenas um clipe, o da canção Né?, parceria de Kana com este escriba e Kleber Albuquerque.

Antes, conto um pouco da história: eu e Kleber já havíamos letrado uma melodia de Kana e, como a tabelinha deu certo, resolvemos repeti-la. Kleber me contou que tinha uma ideia de filosofar sobre o nada, as desimportâncias, e nos lembramos dessas conversas que ocorrem por aí quando duas pessoas se encontram, mas não têm nada a dizer, e procuram tratar do tempo, de fofocas ou mesmo acabam prometendo-se ligações e visitas que jamais ocorrerão. E vou abrir o jogo: como é difícil falar do fácil! Acho que tivemos dois ou três encontros pra arrematar a letra, pois as banalidades assim nos exigiram e mestre Kleber é especialista em polir as palavras. Foi assim que, além da parceria, ganhei umas aulas grátis. Vamos ao que viemos, pois:



Oi, tudo bem?
E a vida, como vai?
Será que hoje vai dar sol?
Quem sabe, vai chover, mas por enquanto tá belê,
Foi o que a moça do tempo falou

E o pessoal da vila tá legal?
Manda um abração pro
E diz pra Aurora, qualquer hora, passa lá em casa prum café

Sabia que o Juvenal,
Coitado, tá no hospital?
Eu bem que alertei, mulher,
Vê se "manera" no sal, né?

E a sobrinha da Margô,
Disseram que engravidou
E foi de um rapaz que é pastor
Mas rezou e deu no pé

Bom, então tá
Bacana te encontrar
Que satisfação te ver
Me manda um whatsapp pra que a gente não se escape
Eu ia mesmo ligar pra você

Tamos aí
Um beijo na Vivi
Recomendações ao Ruy
Diz pra Vanessa que apareça; que eu vou nessa, efe-ó-i: fui

***


E por último, mas não menos importante, aproveito pra avisar que Kana & banda se apresentarão no Espaço Parlapatões (Pça. Roosevelt, 158), no dia 4 de dezembro (domingo), pontualmente às 18h30. E a entrada vai ser a mais democrática possível: nossa multifacetada produtora Solange Rocco passará um chapéu e cada um depositará nele os caraminguás que lhe aprouverem. Até lá, que eu vou nessa, efe-ó-i: fui!




***

14 comentários:

  1. Respostas
    1. Seguimos em busca do crescimento, Nessinha! rs

      Bjs,
      Léo.

      Excluir
  2. Parabéns! Kana e Kleber, Linda canção e belo clipe!

    ResponderExcluir
  3. Que texto legal! Completo! Vamos arrasar em 2017! Juntos, todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus não apenas te ouça, Sossô, mas sobretudo te dê ouvidos. rs

      Beijos,
      Léo.

      Excluir
  4. Adorei as canções! Tudo lindo! Desde o Crowne Plaza��!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Gente, com essa musicalidade, pra mim, a Kana é brasileira, sim!!! Léo, adorei seu texto, parabéns, querido! Kana é maravilhosa também. Espero conseguir ir ver vcs no Parlapatões! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Unknown (rs)! Faltou se apresentar.

      Bjs,
      Léo.

      Excluir
  6. Parabéns para o trabalho que vocês estão fazendo. Muito legal. Saudade de vocês aí! Abraços! Denis Martino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudades recíprocas, Mr. Martino!

      Abração,
      Léo.

      Excluir