quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Crônicas Desclassificadas: 111) Por que ainda ser de esquerda

Escrevo este texto-desabafo a meus amigos que por um motivo ou outro andam pendendo à direita. Quero dialogar com eles, pois sei que são bem-intencionados. Portanto, se você não é meu amigo, mas ainda assim pretende continuar a leitura, aviso de antemão que não pretendo dar corda a comentários ku-klux-klanianos, sobretudo àqueles escritos pelos anônimos de sempre, os que escondem seu ódio e seu preconceito sob a máscara do anonimato. Como dizem, quem avisa amigo é. Se vierem black-bloquisticamente querendo zoar o barraco, sumariamente excluo o comentário e já era. Estamos conversados? Discordar pode, dialogar também, mas manchar o tapete desta residência com a baba infectada com os vírus do ódio, sem chance! Isto posto, vamos ao texto.


Confesso que fiquei triste ao ver as fotos de dois Josés (como eu), Dirceu e Genoino, sendo presos em pleno feriado da Proclamação da República (eram periculosos a tal ponto?). Triste não pela prisão em si, mas por seu mau uso, ou seja, seu uso político. Só sendo muito ingênuo – ou imbecil – pra não perceber a intenção por trás do ato. Prender esses dois num dia tão simbólico como esse é um recado claro não aos corruptos, mas à esquerda: não adianta quererem pôr as asinhas de fora, o Brasil sempre pertenceu – e continuará pertencendo – aos mesmos de sempre. Não adianta se misturarem com os da banda podre; ao menor vacilo, vocês serão postos em seus devidos lugares. Afinal, até pra ser ladrão é preciso pedigree.

Fiquei triste porque a categoria de corrupto que tem gerado ódios pelo Brasil é a do corrupto pé de chinelo. Depois de tantos anos de ditadura, tantos anos de governos de direita ou de centro-direita, tantos anos vendo claramente ladrões "profissionais" se elegendo e reelegendo sem que nenhum deles fosse preso, tantos anos vendo políticos enriquecendo sem que fossem investigados (ou se divertindo com investigações de faz de conta); hoje vemos os que ontem arriscaram suas vidas pelo País serem presos "pra servir de exemplo" aos futuros "ladrões ideológicos", pra que estes saibam que no Brasil se pode roubar em benefício próprio, mas pra defender uma ideologia, não. Ok, ok, como dizia a canção, "um erro não conserta o outro", mas dá uma tristeza danada ver o "bom ladrão" ser preso enquanto o "mau ladrão" continua à solta.

Disseram que a Folha de S.Paulo deu uma guinada à direita (e deu mesmo), ao contratar colunistas eméritos pit-bulls direitosos, e esta, pra tentar amenizar a lambança, chamou de volta um antigo colunista de esquerda, Ricardo Melo, e é justamente dele que vou roubar uma grande verdade, retirada de seu (ótimo) texto mais recente, Supremo Tapetão Federal (leiam aqui): "se uma empregada pega escondida uma peça de lingerie da patroa para ir a uma festa pobre, certamente será demitida, quando não encarcerada – mesmo que a tenha devolvido. Agora, se a amiga da mesma madame levar 'por engano' um colar milionário após um rega-bofe nos Jardins, certamente será perdoada pelo esquecimento e presenteada com o mimo." Né não?

Trocando em miúdos, se os ladrões forem do mesmo bando, no problem, mas bico de fora não tem o direito de chiar. Daí que Melo dá alguns conselhos aos "companheiros" petistas: "Faça o que quiser, apareça em foto com quem quer que seja, elogie algozes do passado, do presente ou do futuro – o fato é que o partido nunca será assimilado pelo status quo enquanto tiver suas raízes identificadas com o povo. Perto dos valores dos escândalos que pululam por aí, o mensalão não passa de gorjeta e mal daria para comprar um vagão superfaturado de metrô. Mas, como foi obra do PT, cadeia neles." Avete capito, amici miei? Por que essa alegria toda com a prisão dos Josés, se as grandes raposadas continuam tomando conta do galinheiro?

Se o gigante despertou, por que não começar a faxina pelos tubarões? Acham que vão enganar o povo prendendo as sardinhas? Os reacionários estão em polvorosa, soltando fogos, comemorando essas prisões como se equivalessem à conquista da Copa, mas será que eles não perceberam ainda que nenhum ardil que engendrem vai fazer a cabeça daqueles que só há pouco tempo começaram a ver suas vidas melhoradas? (Dilma tá disparada nas pesquisas) Os ladrões de sempre nunca fizeram nada por nosso país. Ou melhor, até fizeram, mas apenas pras classes mais favorecidas. Reclamam de bolsas, de cotas, alegando que não são a melhor saída, mas jamais procuraram encontrar outra saída pra diminuir tantos séculos de injustiças. E, enquanto não encontram, nada fazem.

Ó, que fique claro que não venho defender o PT, só lhes quero abrir os olhos pra um movimento de demonização da esquerda que vem sendo tramado a céu aberto. Querem dizer que não há mais esquerdas nem direitas, mas não me convencem. Admito que a esquerda está enfraquecida, mas é o momento de fortificá-la de novo, e não de abandoná-la. Não querem o PT?, ok, justo, então que procurem outra opção, mas do lado de cá, pois a direita está sedenta por voltar ao poder, e, digam-me, quem do lado de lá "agrega valor" ao camarote de nosso samba? Se fizermos um retrospecto da história, quem foram os heróis da direita pelos quais nos sentiríamos representados? Claro, pergunto isso imaginando que você, amigo, tem alguma preocupação social. Se está preocupado apenas com seu umbigo e adjacências, deixa pra lá...

A jornalista Cynara Menezes, em texto recente em seu blogue (aqui), resgatou entrevista que lhe concedeu em 2007 o considerado melhor biógrafo de Che GuevaraJon Lee Anderson (um norte-americano!). Cito a entrevista, pois há nela uma declaração de Anderson que creio que sirva bem pra encerrar este texto: "[...] O legado que [Che] deixou, de que um homem pode tentar mudar o mundo e que pode deixar um exemplo que estimule outros a segui-lo – inclusive depois de morto –, é mais duradouro. Universalmente, o Che é, fracassado em vida ou não, visto como um herói, um símbolo de rebeldia e princípios diante de um status quo injusto. Isto é o que enlouquece os de direita, o que os incomoda: que o Che siga potente como um símbolo, um mártir, um herói. Que herói eles têm para ostentar à raiz da Guerra Fria, alguém que a garotada queira pôr em camisetas? Pinochet???"

***

14 comentários:

  1. Impecável, Leo Nogueira. Ser de esquerda é muito mais do que ser comunista! Ser de esquerda é defender o respeito às liberdades democráticas e economia que distribui a renda e faz justiça social. É ser contra o racismo, a pena de morte (exclusivamente para matar os PPs -- Pretos e Pobres) e tudo o mais que se identifica com a perversidade social. Como mulher negra e ex-quase favelada, se eu fosse de direita, seria a mais pura sem-vergonhice... Vamos combinar! Lucia Helena Corrêa

    ResponderExcluir
  2. Muito bom texto, Leo. Maria Helena Barata

    ResponderExcluir
  3. Sou de esquerda mas preciso discordar de você. Não existe bom e mau ladrão, (especialmente quando se trata de políticos embolsando dinheiro público). E não posso concordar com o argumento de que os ladrões de hoje não deveriam ser presos porque outros também não foram. Em algum momento a justiça teria que começar a funcionar, e já era tarde. O que não pode é parar a partir de agora.
    Não devemos misturar o passado com o presente. O que eles lutaram pelo país ontem não os dá direito de embolsar dinheiro público ou participar de esquemas corruptos como fizeram. E fizeram, é fato, é verídico, julgado e condenado. Ponto.

    Não fico triste em ver pessoas que eu acreditei ontem sendo presas hoje porque cometeram atos de corrupção. Fico feliz. Não mais me representam.

    Acho a postura do PT e de outros da esquerda muito vergonhosa quando decidem ignorar, fingir que não aconteceu, passar por cima, e até aplaudir e chamar de herói os corruptos condenados.

    O correto seria afastá-los, aplaudir a justiça e agradecer por ter revelado e afastado do partido/ideologia pessoas que não estavam agindo com honestidade, que estavam explorando o cidadão e usando o cargo em que ocupavam para enriquecer ilicitamente.

    Outros casos, anteriores ou posteriores, são outros casos e como você mesmo disse, não justificam este.

    No fim das contas é bem simples: roubou tem que ser penalizado. É ladrão, não está trabalhando para o povo, mas sim em favor próprio? Então não interesse se é do partido A ou B, tem que ser penalizado.

    Os crimes não foram inventados para servir de exemplo. Foram reais. Então que sejam punidos! É simples.

    Defender os corruptos apenas porque são do mesmo partido ou da mesma ideologia é um tiro no pé. Como que um partido pode publicamente defender um corrupto? defender atos de corrupção! Onde está o heroísmo em embolsar dinheiro público?

    Por favor, eles vacilaram feio, foram gananciosos, trapacearam o povo. Eu ERA PT e não sou mais, mas não por causa do mensalão. Sim por causa da postura do PT, que poderia ter dito - isso não corresponde às nossas ideologias. Não somos ladrões e não queremos ladrões no partido... mas não... se apequenaram, colocaram as amizades, as parcerias pessoais acima dos interesses públicos e foram tentar defender o indefensável... que vergonha!

    Não tem como, bem que eu queria, mas não tem como concordar nem defender esses caras. Que sejam presos, que cumpram a justiça e que isso permaneça ocorrendo daqui por diante. E se outros não foram presos, isso não justifica. Que bom que pelo menos estes, agora, foram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Rafael, peço desculpas. Seu comentário estava como spam, e só hoje percebi e o salvei de lá.

      Pois bem, respondendo-lhe, não disse no texto que eles não deviam ser presos, disse que a justiça age com dois pesos e duas medidas. Veja você, por exemplo, a morosidade com que está sendo tratado o mensalão tucano. Não é estranho? Temos que tomar cuidado pra não cair na ingenuidade. A partir de agora a justiça não vai mudar. Está tudo igual ao que era antes do julgamento do mensalão. Este foi usado como circo, espetáculo conduzido por seu Barbosa com uma raiva irracional que o impediu de ter certo distanciamento pra conduzir não só o julgamento, quanto as prisões. Não vejo essa mesma raiva dirigida a outros caos. Parecia mais vingança que julgamento. Parecia algo pessoal. Inclusive em sua desumanidade em relação ao tratamento dado aos condenados na atualidade. Sou favorável a que corruptos sejam julgados e condenados, mas TODOS, não só aqueles que pertencem a um partido que, bem ou mal, tanto fez pra diminuir as injustiças sociais. Veja meus outros comentários aqui publicados. Ajudarão a entender o que penso.

      Abraço,
      Léo.

      Excluir
  4. Parabéns pelo texto principalmente pelo momento em que você o publicou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Antonio Carlos! E grato pela rara presença!

      Abração,
      Léo.

      Excluir
    2. Wow! Brilhante, Léo! Como sempre. Vou compartilhar. Parabéns.

      Excluir
  5. Li em algum lugar que um indivíduo (desses caras que ficam bracejando todo o tempo para se livrar do anonimato) teceu uma teoria sobre a não-existência de Jesus Cristo. Segundo suas pesquisas (!) Cristo tratar-se-ia de uma invenção do império romano, sob obscuro propósito. Bem, ocorreu-me que, se esta improvável hipótese for verdadeira, a conclusão a que se chega é que tanto faz; a filosofia cristiana mostrou-se tão adaptável aos tempos que, por si só, ganharia o direito de mais-valia, independente do personagem principal. No pós-tudo em que vivemos, onde todas as idéias já foram expostas e testadas na humanidade, ouso arriscar que os sistemas de governo e comportamento se esgotaram num canal único: a moral dos homens que giram as engrenagens do comando. Num universo de homens podres, tanto faz estar à esquerda, à direita, ao centro, acima ou abaixo. Ficou tão fácil viver à margem da verdade que às vezes nós mesmos nos confundimos com o que é real, irreal ou apenas adequado. Essa resposta só poderemos buscar no fundo de nossas consciências. E de lá trazermos também a coragem de contestar. Num panteão de heróis de araque, todos somos vítimas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mestre Tavito, salve salve!

      Querido, sua honrada presença neste humilde espaço é prova cabal de que o assunto merece discussão. Entendo seu ceticismo em relação à raça humana, mas acho que, mesmo que tenhamos em mente que nossa batalha é perdida, não nos resta opção: é lutar ou deixar que a descrença vença. E você, na condição de compositor, sabe que somos todos quixotes. Se uma laranja podre contamina as outras do cesto, joguemos fora todas e comecemos nova colheita, porque é melhor sempre lutar que aceitar a condição de vítima. Temos a arma mais letal de todas: a palavra!

      Abração,
      Léo.

      Excluir
  6. A briga de direita X esquerda é muito conveniente, tanto para esquerda quanto para direita, como você bem coloca: "Trocando em miúdos, se os ladrões forem do mesmo bando, no problem," e, portanto, o epicentrismo (Que todo mundo tem o direito, seja político ou religioso) cega. Finalmente, quando as pessoas começam a ser presas e mudanças são operadas, levantam-se questões do tipo... esse não, né ? Da esquerda a direita muito mais gente tem de ser presa... só que não temos mecanismos para isso pois a sociedade é corrupta por si só... olha um outro lado da questão interessante... o lado da direita... http://www.implicante.org/artigos/o-mensalao-nao-foi-corrupcao-o-mensalao-e-uma-mentalidade/ . Eu vou perambulando dos dois lados... adoro artigos consistentes de acusações contra Tucanos e não duvido dos artigos consistente contra os petistas. No final das contas o lesado foi democracia, o erário público, a moral... eles só se enriquecem... Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Pandiá:

      Ponho a questão de forma mais simples: eu, na condição de migrante nordestino que morou na periferia, estudou em escola pública, teve que começar a trabalhar com 14 anos e sempre sentiu na pele as injustiças a que minha gente é exposta, sei que o ser humano é corruptível por natureza, mas também sei que as pessoas que sempre dominaram o mundo nunca fizeram nada pra diminuir tais injustiças. Todas as mudanças pra melhor, mesmo as tentativas mais estabanadas, sempre foram geradas entre os excluídos. Como frisei antes, o intuito deste texto não é fazer uma defesa do PT, mas sim alertar sobre os perigos de que um governo de direita volte a estar no comando. A história recente da América Latina (e seus tantos mortos e desaparecidos) nos mostra que viver amordaçado é pior que pode acontecer a um ser humano. A democracia engatinha, mas o simples fato de estarmos aqui, discutindo-a, sem que venham nos calar, por si só já é algo a se comemorar. Depois de tantas e suadas conquistas, não podemos nos dar ao luxo de retroceder.

      Abração,
      Léo.

      Excluir